terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Um relicário imenso #


 

Quando eu fiz esse blog, eu o fiz apenas com o intuito de que servisse como um lugar meu, onde eu escreveria sobre os meus sentimentos sem ter que contá-los pra ninguém a não ser pra mim. Mas no fundo, o que eu queria mesmo era que você entrasse aqui todos os dias e lê-lo se tornasse um tipo de rotina. Eu tinha essa mania de te imaginar na frente do computador, escutando uma música qualquer, lendo cada texto e pensando em mim. Acho que é por isso que não consigo me desfazer disso aqui, afinal, por causa dele ficamos juntos, né? Não exatamente por causa dele, mas ele foi a nossa ponte, através das minhas palavras o meu amor chegou até você, já que nunca teríamos coragem de arriscar a nossa preciosa amizade por algo que nem sabíamos se era real. Engraçado né? Faz tanto tempo desde o nosso tempo. Tanto tempo desde que me peguei pensando em você inocentemente, mal sabendo eu, que viveríamos algo tão incrível. Caminhamos de mãos dadas mesmo estando longe um do outro, tínhamos a nossa ligação de pensamentos, lembra? Era estranho, mas certas vezes eu parava no tempo e sabia que você também estaria pensando em mim. E foi de mãos dadas que nos perdemos. O tempo foi o nosso amigo, mas a distância foi a nossa completa inimiga. Talvez o orgulho da pouca maturidade e até mesmo o medo de arriscar em um futuro incerto sendo nós tão jovens e confusos. Hoje, mesmo aquela nossa história tendo terminado, eu ainda amo você do mesmo jeito que amei há tantos anos atrás. Eu ainda penso em você todos os dias mesmo quando passamos semanas sem ter notícias um do outro. Várias vezes eu pensei em excluir esse lugar que é nosso, esse relicário do que foi a nossa história, o nosso amor. Mas eu não consigo, sabe por quê? Tenho a esperança de que você ainda o lê sempre, e se daqui a uns bons anos sua memória comece a falhar, e você comece a perder as nossas lembranças, que você encontre perdido em algum lugar o endereço desse relicário, leia-o e lembre-se de mim. Do meu nome. Do meu rosto e dos nossos momentos. Que você sorria e não se lembre dos momentos ruins e sim dos bons. Que você sinta falta e se pergunte por onde anda aquela moça. 


Lany

3 comentários:

  1. Olá!
    Foi um grande prazer conhecer seu blog.Aproveito meu tempo para navegar e ler textos e poemas feitos por pessoas que gostam de escrever.
    Que bom que você é uma delas.
    Grande abraço
    se cuida

    ResponderExcluir
  2. - Nossa !!! Seem menor sombra de duúvidas, isso me tocou intensamente. Concerteeza, a distância é uma grande adversária de um amor, principalmente nós sendo assim, tão jovens & inocentes (no quesito se apaixonar). Talvez o maior medo é que tudo se perca, se dissolva... - Maas, procuro acreditar que essa maléfica distaância nãao acabará com o nosso amor. Nãao seei se o seu amor está distante agoraaa, maas acredite, tudo pode acontecer, se você ainda amá-lo & faze-lo sentir novamente aquela mesma intensiva paixão. ;)
    - Paarabens s2

    ResponderExcluir
  3. eu adorei muito seu texto, é basicamente tudo que eu também queria falar, quando eu criei meu blog tive o mesmo pensamento que você e hoje não consigo mais apaga-lo ao contrario sinto falta dele quando passo muito tempo sem postar nada.
    Parabéns pelo blog.!

    ResponderExcluir