quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Despeço-me. Regresso #


Você vai lembrar o quanto eu te amei. Te amei da forma mais linda que poderia existir e sei que esse mundo ficaria encantado com tamanha grandeza de um amor que... Acabou. Quando o sol se for, você vai lembrar que existiu alguém que te colocou em todos os planos e que mudou a rota de todo um destino por amor a você. Um dia ao acordar, no meio do dia ou ao deitar-se você vai lembrar que tudo poderia ter sido diferente, eu e você, nossa história. Nosso presente. Se acabou talvez tenha sido porque a vida foi injusta com a gente ou talvez você não tenha dado tanto valor ao que eu sentia e se deixou permitir que a ausência nos afastasse. Queria que soubesse que continuei olhando as fotos, que continuei escutando as músicas que eram nossas. Queria que soubesse que durante anos eu senti uma saudade que apertou e doeu no peito. Por anos eu continuei sentindo um nó na garganta com qualquer sinal de presença sua. Eu gostava de ficar nervosa quando queria desesperadamente ouvir a tua voz e simplesmente tremia a cada chamada. Era com o teu sorriso que eu me alegrava e era com ele que eu dormia e acordava todos os dias. Na verdade eu gostaria que se lembrasse de tudo junto comigo, porque as lembranças doem e você tem o direito de dividi-las comigo. Quero que você sinta o que eu sinto ao lembrar. Despeço-me de você pela milésima vez e pela milésima e uma vez regresso. Eu sou assim. Eu sou você. E mesmo negando, a verdade é que todos os dias eu peço que um vento qualquer te guie de volta ao que sempre foi seu.

Lany

Um comentário:

  1. Seus textos se superam cada vez mais. Parabéns. Davi

    ResponderExcluir